Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

Ele só tem uma perna. Mas é craque. Com uma só perna, fez um verdadeiro gol de placa. Claro, o equilíbrio prejudicado, não saiu nenhuma bicicleta. Mas ganhou a nossa Bola de Ouro conquistada com uma perna só.

O nosso Bio – agora ele é nosso – perdeu a perna para a diabete há poucos meses. É o nosso Saci-Pererê. Só tem uma perna que lhe restou e vai pular para sempre. Pulando, reorganizou a sua carroça, conclamou a velha burra a continuar a parada e caiu em campo como sempre caiu. Não, claro que não; não será a falta de um membro inferior que vai abater o nosso personagem condenando-o à mendicância desonrosa. Bio vende adubo de boi (a minha palavra de menino de Salvador é esterco) de porta em porta.

Temos que comprar mais adubo de quem, uma perna só, vai ao nível do chão para dali se levantar, com toda a honra do trabalho, com o que ficou dos restos dos bois para garantir a sobrevivência da família. Temos que comprar sem mais ou menos discutir o preço do saco. Bio, o leitor deve considerar, é um herói. E heróis não andam por aí buscando enganar os seus semelhantes. Heróis se dignam de atos de heroísmo!

Interessante, leitor (vamos ficar com interessante): a mulher de Bio, também sem uma perna há vinte anos, subiu na carroça e é a secretária executiva da empreitada da alegria, da esperança, do exemplo e, talvez, daquilo que pode nos meter vergonha, a nós ainda donos de duas pernas.

Lá vai Bio de volta gritando o seu adubo. Que ele saiba que os nossos jardins ficam mais floridos. Exalam mais odor. Exalam exemplo de dignidade. A Natureza, melhor do que nós, acata e recompensa o seu esforço e a sua dedicação. Paguemos pelo saco de esterco. Acrescentemos alguma coisa para o milho da burra (Bio sabe que vamos perguntar se ela recebeu o presente. Daremos um jeito e falaremos o seu idioma). Deixemos algum trocado para a netinha que às vezes vem no lugar da companheira.

Não posso deixar de lançar uma provocação no momento em que o Brasil sofre pelos desmandos de uma turma que nos decepcionou. Se Bio do adubo, morador da Rua 21 de Abril, 48, BTN I, fosse um dos gestores do Brasil?! Se o seu belo exemplo contaminasse quem mereceu o nosso voto! Eles ganham altos salários dos nossos impostos. Têm algumas mordomias. Têm oportunidades ampliadas. Alguns têm rendas paralelas. O Brasil estaria melhor. (O leitor está autorizado a erradicar este parágrafo se julgar que ele destoa, de certa forma, do contexto.)

Com algumas dezenas de Bios, estaríamos dispensados de meditações como esta, talvez uma pregação, quiçá maçante e cansativa. Certamente o Brasil estaria melhor.

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.