Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

O almoço do último sábado (09), na fazenda do ex-prefeito Paulo de Deus (PMDB), em Canindé do São Francisco/SE, mexeu com o meio político, porque entre outras coisas, em entrevista ao empresário Diniz, Paulo assume que será candidato junto ao seu irmão, Luiz de Deus (DEM). Até aqui, a dúvida reside apenas em saber se vem como prefeito ou vice?

“Eu e Luiz de Deus estamos juntos no próximo pleito candidatos a prefeitura de Paulo Afonso, um será candidato a prefeito e o outro será candidato a vice”, afirmou.

Pelo dito, que os senhores poderão também ouvir através do aúdio abaixo, a coisa se resolverá em família, Paulo Afonso, portanto, será, no século XXI, uma capitania hereditária.

O que continua a ser espantoso, depois de todo o ocorrido do fim de semana, é que nenhum cidadão em Paulo Afonso consegue afirmar quem, afinal, é candidato da oposição?

“O que todo mundo sabe é que se se confirma mesmo o deputado federal Mário Júnior (PP), aí terá disputa, podendo Luiz de Deus amargar mais uma derrota, porque como é sabido, o único nome capaz de vencer Mário Júnior é o Paulo de Deus”, disse um interlocutor do prefeito Anilton Bastos Pereira (PDT).

A rigor, na Câmara, por exemplo, não tem mais oposição, note que mesmo Antônio Alexandre (PR) que está na dissidência, estava muito bem ao lado de Luiz de Deus no almoço famoso, e o democrata (ainda) é o candidato do prefeito. Logo, me diga com quem andas que eu te direi que és.

Alô, deputados, vereadores, ex-prefeitos, da oposição! Está se criando uma eleição sem jogo. Para homens, mulheres moços e as moças que repelem os “deuses” não há uma opção.

Estão esses homens e mulheres vendo a banda da prefeitura passar cantando coisas de amor: “/Estava à toa na vida/ o meu amor de chamou/ para ver a banda passar/ cantando coisas de amor…/”. E ninguém vem enfrentar esta toada e dizer onde desafina.

Perguntei a fonte sobre o ex-prefeito Raimundo Caíres (PSB): “Esfacelou toda a base que lhe deu pouco mais de 17 mil votos em 2012, o resultado pode ser visto nas últimas eleições, transferiu pouco dos votos que sempre teve. Esses votos vão para a oposição qualquer que seja o candidato, são os anti-deuses”, explicou.

Não se pode negar também, que uma ala radical do PT, partido da base do prefeito, pode negar apoio a Luiz de Deus e juntar-se a oposição, se esta um dia ganhar envergadura.

“Tem gente no PT que não consegue pronunciar o nome de Luiz de Deus, imagine pedir votos para ele, mas não se trata de uma decisão local, o negócio vem de Salvador, e Rui Costa (PT) não é Jaques Wagner (PT) que deixava as coisas correrem soltas, Rui está de olho em 2018, e quer unidade nos municípios”, assegurou a fonte.

Lembrando que Luiz de Deus deve migrar para uma legenda “amiga” do PT, para ter o “ok” do governador.

Enquanto isso, ficam os deuses sonhando como vão administrar mais quatro anos: quem vai ficar, quem vai embora? Não existe até o momento, se quer, a preocupação em dizer ao povo quais projetos têm para gerar um mísero emprego na cidade. “/A minha gente sofrida/ esqueceu-se da dor/ pra ver a banda passar/ cantando coisas de amor/”. Se fosse só a “gente sofrida”, estava era bom.

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.