Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

O deputado federal Mário Negromonte Júnior (PP) concedeu entrevista ao programa Radar 89, da Delmiro FM, na tarde desta segunda-feira (21), entre os assuntos suscitados pelos entrevistadores Ozildo Alves, Júnior Padão e Epidauro Pamplona o deputado foi questionado sobre a autorização do ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF) para ser investigado na operação Lava Jato.

“Em primeiro lugar, eu vi com muita surpresa a inclusão do meu nome numa investigação do STF, meu nome foi incluído porque eu recebi do Partido Progressista – meu partido, uma doação oficial de R$ 85 mil de uma empresa chamada Jaraguá Equipamentos Industriais, as doações foram oficiais e legais, declaradas e registradas”, explicou o deputado.

Segundo informou Mário Júnior, o valor foi passado em 2010, quando ainda não tinha mandato, que suas contas foram analisadas, aprovadas e informadas ao TRE – Tribunal Regional Eleitoral da Bahia e ao TSE – Tribunal Superior Eleitoral.

“Eu nem era deputado estadual ainda, então, quero dizer ao povo de Paulo Afonso e da região que mantive minha agenda, porque estou tranquilo”, disse.

Mário Júnior ainda insistiu que outros políticos da legenda estão sob investigação, mas que até o momento não encontraram nada contra seu pai, o ex-deputado federal Mário Negromonte e atual conselheiro do TCM – Tribunal de Contas dos Municípios.

“Não encontraram nada, e agora vão fazer investigação de uma doação de R$ 85 mil feita ao partido nacional, não tem problema, é apenas uma investigação, podem plantar o mal, mas lá na frente vocês vão ver que eu estou certo ”, afirmou.

Ouçam mais no áudio abaixo:

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.