Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

Dois agricultores que residem no Assentamento Genivaldo Moura, município de Delmiro Gouveia, registraram na manhã desta terça-feira (1), um Boletim de Ocorrência (BO) contra o prefeito Luís Carlos Costa, o (Lula Cabeleira). Os trabalhadores foram identificados como: Ednaldo Antônio da Silva, 35 anos e Pedro José dos Santos 49 anos, ambos alegam que foram agredidos com palavras de baixo calão e ameaças produzidas pelo prefeito. Lula Cabeleira participou ao vivo do programa Radar 89 na Rádio Delmiro FM e negou as acusações.

De acordo com as vítimas, o intenso tráfego de caminhões e máquinas pesadas, decorrente da obra do anel viário, resultou na quebra de canos que irrigam as plantações na localidade. Com intuito de sensibilizar os responsáveis pela obra, os moradores se reuniram para reivindicar equipamentos melhores para não causar mais transtornos aos trabalhadores, porém, segundo o BO, ambos foram surpreendidos com a chegada do prefeito que desceu de seu carro acompanhado dos seguranças se dirigiu ao morador Pedro José e o chamou de filho da (…), e ainda disse-lhe que pelo fato de está com um facão na cintura, (instrumento necessário ao desenvolvimento de suas atividades) não tinha medo.

Em seguida, aproximou-se do morador Ednaldo e disse “Neguinho, você é responsável pelo manifesto, e por isso ainda vai apanhar muito.” (Passando a mão no rosto da vítima). Os seguranças, ao perceberem a situação contiveram o político que também é empresário e saíram do local.

Reprodução: Boletim de OcorrênciaReprodução: Boletim de Ocorrência

As vítimas procuraram a Delegacia Regional de Polícia (1ª-DRP) onde foram ouvidas pelo delegado Rodrigo Rocha Cavalcanti. De posse dos depoimentos, a autoria será intimada para prestar esclarecimento. A polícia não informou a data.

No início do programa Radar 89 na Rádio Delmiro FM, o prefeito Luís Carlos Costa, o (Lula Cabeleira) participou ao vivo e negou que tenha acontecido o fato.

Cabeleira apenas contou que estava passando no local quando percebeu a aglomeração de pessoas, ao descer do carro, ele foi surpreendido com cerca de vinte pessoas que estavam com facões e foices, um deles teria sacado a arma branca da bainha e tentando intimidar o prefeito, foi quando ele pediu para guardar aquela arma, pois aquilo não lhe fazia medo. Ainda segundo Lula Cabeleira, o surpreendido na história foi ele, pois todas as reivindicações pedidas pelos moradores daquele assentamento são atendidas, na medida do possível, pela gestão municipal.

Para finalizar o prefeito disse que estava tranquilo e irá aguardar os procedimentos da Polícia Civil.

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print

VEJA MAIS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.