O motociclista Anderson de Oliveira, de 35 anos, divulgou nesta quarta-feira (16) a íntegra da gravação que mostra um assaltante roubando sua moto e sendo baleado por um policial militar em São Paulo, no último fim de semana (veja ao lado).

 

Oliveira chegou a publicar o vídeo no dia do crime, mas tirou logo na sequência por medo de represálias. Quatro dias depois, ele republicou a gravação e também decidiu se identificar. "Não queria ter que ficar escondido como um rato de esgoto porque sou trabalhador, sou digno e não faço mal a ninguém", disse Oliveira, que trabalha como vigilante.

(Observação: ao ser publicada, esta reportagem deixou de informar que a íntegra esteve disponível em outro perfl no YouTube. A novidade nesta quarta é que o motociclista decidiu republicar as imagens em seu canal.)

Na íntegra da gravação, Oliveira agradece ao policial militar e protesta contra o ladrão atingido por dois tiros disparados pelo oficial que passava de carro pelo local. Ao fim dos pouco mais de 8 minutos da filmagem feita com uma câmera acoplada ao capacete, o vigilante desabafou.

 

“Obrigado, polícia. Obrigado, polícia. Brigado mesmo. Vai roubar agora no inferno, maluco. Você vai roubar no inferno. Minha moto você não vai levar não. Minha moto você não vai levar. Graças a Deus”, fala a vítima para o assaltante.

 

O crime ocorreu por volta das 15h do sábado (12) na esquina das avenidas Doutor Assis Ribeiro e Gabriela Mistral, na Zona Leste da capital paulista. O criminoso estava armado na garupa de uma motocicleta Twister Honda, de cor vermelha e 250 cilindradas, conduzida por seu comparsa, que fugiu e é procurado pela Polícia Civil. O desempregado Leonardo Escarante Santos, de 18 anos, foi preso em flagrante e continua internado em um hospital, sob escolta policial.

 

‘Vaimorrer’
Nas imagens é possível ver Leonardo se contorcendo e dizendo que não iria resistir aos ferimentos. “Ai, ai, ai. Eu vou morrer”, afirmou o baleado. “Vai morrer mesmo. Vai beber no inferno. Vai beber o capeta, agora. Vai meter arma na cara dos outros? Aí é foda, ainda bem que tá gravando. Tentaram me roubar aí tio”, diz Anderson apontando para o criminoso que tentou roubar sua Hornet Honda branca de 600 cilindradas, avaliada em mais de R$ 30 mil.

 

Em outro momento do vídeo, ele critica o assaltante por preferir roubar a trabalhar. “Você não gosta de roubar? Trabalhar não quer, né? Sabe quanto eu estou trabalhando para comprar esta moto? Sabe quanto eu estou trabalhando para comprar essa moto? Você não sabe, né, rapaz, para levar assim tão fácil?”, desabafa o vigilante.

 

Antes do fim da gravação, Anderson posiciona a câmera em direção ao assaltante caído e faz questão de resumir o que ocorreu. “É o vacilão, aí, ó. Foi me roubar, aí, ó. (…) Polícia picou bala nele, aí, ó! Roubar hornetão, mano.”