A situação de abandono em que se encontra a guarda Municipal de Paulo Afonso pautou a discussão com a categoria na sessão ordinária da Câmara de Vereadores nesta segunda-feira (14).  Em tom de desabafo, o guarda municipal Anderson Andrade usou a tribuna da Câmara para lamentar o desprestígio da categoria junto ao prefeito Anilton Bastos que estaria – segundo ele – “segurando em demasia a aprovação do estatuto da classe enviado por quatro vezes à procuradoria do município, porém, sem êxito. Em seu pronunciamento Anderson disse se sentir envergonhado por não ter condições de cumprir o que estabelece as diretrizes do estatuto da guarda municipal.

Os agentes além de reduzidos a apenas 54 profissionais (eram 100) estão desprestigiados junto às autoridades, discriminados e, além disso, com os salários defasados e querem medidas urgentes para a melhoria dos serviços. Como encaminhamento, o vereador Edson Oliveira Maciel sugeriu ao líder do governo  agilizar o encaminhamento  do estatuto à apreciação das câmara onde os vereadores  que já se comprometeram a  aprovar o projeto  em sua totalidade.

“Temos que reconhecer o trabalho dos agentes no município e estabelecer mecanismos que assegurem direitos para o trabalhador e qualidade dos serviços para a população”, afirmou o vereador Bero do Jardim Aeroporto.